Alternativa para o tratamento de TDAH

Neurofeedback pode realmente ajudar o seu filho?
Aqui está o que você precisa saber sobre este tratamento alternativo para TDAH.

Cody Miller foi diagnosticada com déficit de atenção e hiperatividade (TDA/TDAH) na primeira série, após idas a médicos seu comportamento melhorou com a medicação porém experimentou efeitos colaterais inaceitáveis.

"Eu não me importava com nada", diz Cody, agora 17 anos. Seus pais pararam o medicamentos e Cody começou a se comportar de forma agressiva com seus pais, amigos, e até mesmo com seus animais de estimação. Sua mãe então voltou-se para neurofeedback, um tratamento alternativo para TDAH que utiliza exercícios para o cérebro reduzir a impulsividade e aumentar a atenção e foco.

Após oito meses de sessões, Cody teve uma melhora em suas notas e seu comportamento agressivo diminuiu. Dois anos mais tarde, os ganhos de Cody estão asegurando. Ela usa uma dose baixa de medicamentos durante o ano letivo, e recebe neurofeedback agora em períodos mais extensos e principalmente nos períodos stressantes.

Alguns pais, como os de Cody, procuram terapias para suas crianças com TDAH porque a medicação parou de funcionar (ou nunca funcionou), produz efeitos colaterais indesejáveis, ou, mais comumente, não gerencia todos os sintomas da doença. Cerca de 10.000 crianças estão atualmente recebendo tratamentos nos EUA, e de acordo com Cynthia Kerson, diretora executiva da Sociedade Internacional de Pesquisa de Neurofeedback, 65 a 80 por cento deles têm algum tipo de condição de déficit de atenção.

As sessões são de curta duração (cerca de 30 minutos) e indolor. Um aspecto promissor de Neurofeedback é que seus benefícios parecem manter-se mesmo após o tratamento ser terminado. Vincent Monastra, Ph.D., fundador da Clínica FPI distúrbios de atenção em Endicott, Nova York, e autor do livro Parenting Crianças com TDAH: 10 lições que a Medicina não pode ensinar (American Psychological Association), realizou um ano de estudos, com 100 crianças que estavam tomando medicação, metade dos quais também receberam terapia com neurofeedback. Os resultados indicam que "os pacientes que não receberam a terapia perderam a maior parte dos efeitos positivos do tratamento uma semana após terem sido tirados da medicação." Aqueles que combinaram medicação com neurofeedback, diz ele, mantiveram a sua capacidade de controlar a atenção. Na verdade, diz Monastra, que é um praticante de terapias neurofeedback, "após o ano de terapia neurofeedback, alguns pacientes foram capazes de reduzir a dose de medicação por cerca de 50%."


Especificidades do tratamento

Neurofeedback é baseada em um princípio simples. "O cérebro emite diferentes tipos de ondas, dependendo se estamos em um estado focalizado ou devaneio", explica Siegfried Othmer, Ph.D., cientista-chefe do Instituto de EEG em Woodland Hills, Califórnia. O objetivo do neurofeedback é ensinar o paciente a produzir os padrões de ondas cerebrais associadas com foco. O resultado: Alguns sintomas de TDAH - impulsividade, distração, e agitação - diminuem.

Veja como o tratamento é estruturado.

Depois do aplicador ter um histórico sobre seu paciente, ele mapeia seu cérebro, assim é colocado eletrodos na cabeça do paciente e o mesmo se senta com os olhos fechados por alguns minutos. É pedido para ele realizar uma tarefa cognitiva, como a leitura em voz alta ou uma conta matemática. Os resultados são mostrados como um mapa colorido na tela do computador, indicando as áreas do cérebro onde há muita ou pouca atividade de ondas cerebrais - as fontes, teoricamente, dos sintomas do paciente com TDAH. Este mapa digital permite uma comparação com outros padrões de ondas cerebrais armazenados em bancos de dados - e podem ajudar a formatar um protocolo de tratamento, determinando locais para os eletrodos, ou seja, em qual pontos irão ser trabalhados em sessão. Cada paciente possui um protocolo de tratamento diferente de outro, mesmo com patologias iguais, o tratamento pode seguir de forma diferente. Durante o tratamento, de forma lúdica para crianças e adolescente, é usado videos, musicas e jogos. Seu objetivo: mover os personagens em um jogo de computador ou vídeo (metas variam, dependendo do protocolo que o praticante utiliza). O software monitora o jogo e registra a atividade cerebral, a perda de foco fará com que o jogo pare. Assim conseguimos que a criança e adolescente treine esse manter o foco e dimnua sua ansiedade.
(Os nomes foram alterados para proteger a privacidade da criança.)





Rua Haddock Lobo, 846 - Cj. 402 e 1205 - Cerqueira Cesar | 3085.6562

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player